Álcool e aleitamento materno combinam?

O leite materno é importantíssimo para o desenvolvimento infantil. Tudo que a mãe ingere pode afetar a qualidade deste alimento, para o bem ou para o mal. Neste texto iremos abordar o consumo de álcool durante o período de amamentação.

Sabemos que o álcool é uma droga socialmente aceita e de fácil acesso nos lares brasileiros. Além disso, há o mito de que a cerveja ajudaria na produção e na descida do leite materno. E, assim, muitas mulheres podem ser incentivadas a ingerir bebidas alcoólicas durante o período de amamentação.

No entanto, vários estudos mostram que o álcool, na verdade, afeta a qualidade do alimento produzido nas mamas. Os pesquisadores descobriram que, quando uma mulher consome esse tipo de bebida, o nível de álcool encontrado no leite é proporcional ao encontrado no sangue da mãe. Quando ingerida pela criança, a substância afeta o sistema imunológico. Além disso, a criança embriagada dorme mais e isso faz o bebê sugar menos o peito e, consequentemente, reduzir a produção de leite.

O álcool precisa ser metabolizado – processo feito pelo organismo para eliminar a substância. E isso leva de duas a 12 horas, dependendo da quantidade de ingestão de bebidas alcoólicas. Para você ter uma ideia, se uma mulher bebe uma lata de cerveja, o nível de álcool no sangue e no leite permanece por cerca de duas horas.

Portanto, o ideal é que a mulher evite o álcool durante o período de amamentação. Caso vá ingerir bebidas alcoólicas, deve armazenar com antecedência o leite no congelador para alimentar o bebê sem o risco de que ingestão de álcool pela criança. Além disso, após a ingestão de uma dose, a mãe deve evitar o aleitamento por duas horas. Durante este período, deve extrair o leite e jogar fora.

Fontes:

Portal Bebe.com.br

Artigo científico “Aleitamento Materno: quanto o álcool pode influenciar na saúde do bebê?”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *