Álcool, energéticos, açúcar, embutidos e frituras são inimigos do desempenho

Nutricionista diz que para o atleta ficar mais tempo na prática esportiva, retardar a fadiga, acelerar a recuperação muscular e obter melhores resultados, deve evitar consumir esses alimentos

A alimentação influencia diretamente o desempenho esportivo e a saúde de um atleta (amador ou de elite). As necessidades energéticas, de macro e micronutrientes, variam de acordo com o tipo de modalidade, treinamento e objetivos. É fundamental para manter o atleta por mais tempo na prática do esporte, retardar a fadiga, acelerar a recuperação muscular e promover saúde e bem-estar. Entretanto, alguns elementos não trazem benefícios para nenhuma modalidade específica. A nutricionista Cristiane Perroni, especialista do Eu Atleta, cita cinco deles:
+ Veja quanto exercício você deve fazer para compensar os exageros
Bebida alcoólica
O consumo de álcool não é compatível com a prática esportiva por reduzir a capacidade cognitiva, relaxar a musculatura, reduzir a força muscular, o equilíbrio, a velocidade e capacidade respiratória. O álcool é agressor de vários órgãos, principalmente os que atuam no sistema digestivo, como estômago, intestino, fígado e pâncreas. Também não é adequado o consumo para a fase de recuperação muscular. Estudos demonstraram que o álcool aumenta os níveis de cortisol, podendo levar ao aumento da degradação proteica e reduz os níveis de testosterona livre. Ou seja, diminui o processo de anabolismo – ganho de massa muscular. O consumo excessivo está relacionado com a desidratação (eletrólitos são perdidos pela urina), alterações cardíacas, como arritmias, alteração glicêmica (hipoglicemia), alterações hepáticas e aumento de peso.
Consumo de álcool em excesso não é compatível com a prática esportiva

Fonte: Eu Atleta
(Foto: Getty Images)

2 comentários Adicione o seu
  1. O estudo deveria considerar a quantidade
    Faço parte de uma equipe chamada corrida e cerveja onde inclusive temos atletas de ponta que tomam algumas cervejas pós prova.
    Tem um que não é de ponta mas que também tem tempos bons que inclusive bebe antes.
    Não estou defendendo não, inclusive eu mesmo fazendo parte da equipe estou sem beber tem 6 meses
    Só queria que o estudo levasse em consideração a quantidade porque de ressaca ou bêbado é lógico que cai o rendimento mas em pequena quantidade será que não serve como um fator relaxante?
    Não sirvo como exemplo porque sou extremo ou bebo muitas ou nenhuma e no momento estou no nenhuma

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *