Bebendo muito? Cuidado! Ingestão de álcool em excesso afeta seu coração

Já se passaram quase oito meses desde o início da quarentena e de todas as adaptações impostas com a chegada do coronavírus. Não há como negar o estresse vivenciado neste longo período. Por mais que aos poucos as atividades estejam sendo retomadas, a vida ainda segue cheia de incertezas e bem longe de voltar ao que considerávamos “normal”.

Muito mais tempo em casa, menos tempo na rua, menos oportunidades de lazer e contato social, cenário que para grande parte das pessoas gera tédio, ansiedade e a busca por compensações. Nessas horas, o consumo de álcool acaba sendo usado como válvula de escape para, momentaneamente, proporcionar a sensação de bem-estar, descontração e relaxamento.

O problema aqui, de modo geral, não é o consumo em si, mas o excesso dele. E os dados trazem um alerta: as pessoas estão bebendo com mais frequência e em maior quantidade desde o início da pandemia da covid-19. De acordo com um estudo realizado em parceria pela Fiocruz, UFMG e Unicamp, cerca de 18% dos brasileiros estão consumindo mais bebidas alcoólicas. Já as redes de supermercado apontam aumento de 27% na venda desses produtos.

A saída pode ser uma maneira paliativa para lidar com emoções e sentimentos, no entanto, é importante ter consciência das possíveis consequências, inclusive graves, para a saúde se não houver cautela. O consumo excessivo de bebidas alcoólicas aumenta, por exemplo, a pressão arterial e os níveis de gordura no organismo, gera obesidade, disfunção hepática, depressão, câncer, alcoolismo e é capaz até desencadear um infarto ou AVC (acidente vascular cerebral.

O álcool no corpo

Resumidamente, logo após ser ingerido, o álcool é transportado pelo sangue para todos os tecidos que contém água. Desta forma, e por ser solúvel, entra rapidamente em nossa corrente sanguínea, atingindo diferentes órgãos do corpo, em especial cérebro, fígado, pâncreas, rins e coração.

“Mas eu li que vinho e cerveja fazem bem para o coração”

Há diversos estudos que revelam que certas bebidas, como vinho e cerveja, podem trazer benefícios à saúde cardiovascular, mas isso vale somente para alguns casos e sempre com moderação! A recomendação varia, mas o parâmetro é de uma dose por dia para as mulheres e duas para os homens, além de não beber mais de cinco vezes por semana —para uma dose considere uma lata (330 ml) de cerveja, uma taça (100 ml) de vinho ou uma dose (30 ml) de destilado.

Estar fisicamente ativo, manter uma alimentação saudável, dormir bem e ter atitudes positivas são bons caminhos para combater o estresse, a ansiedade e os desafios da vida. E se já não está fácil lidar com tudo o que estamos vivendo, incluir mais preocupação acredito que não é desejo de ninguém. Portanto, cautela!

Fonte: UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *