Campinas proibirá venda de bebidas alcoólicas em posto de combustível

Em meio a pandemia, decreto será publicado na terça-feira (7); proibição durará 30 dias e multa será de R$ 1,4 mil, podendo dobrar em caso de reincidência

A Prefeitura de Campinas vai proibir, a partir desta terça-feira (7), a venda de bebidas alcoólicas em lojas de conveniência e postos de combustíveis da cidade para evitar aglomerações e festas nos locais, aumentando o contágio do novo coronavírus.

A medida, anunciada nesta segunda-feira (6) pelo prefeito Jonas Donizette (PSB), valerá por 30 dias, podendo ser prorrogável por mais 30 caso seja necessário. Os estabelecimentos que descumprirem o decreto serão multados em R$ 1.446,44 na primeira autuação; o valor dobra (R$ 2.892,88) em caso de reincidência.

“Vamos proibir a venda. Antes não podia ficar no local, agora sequer vender a bebida. Isso porquê os postos se tornaram pontos de encontro. As pessoas compram a bebida e consomem ali mesmo”, afirmou Jonas.

Segundo ele, a Administração conversou com o setor sobre a medida. Sobre os casos, o comandante da GM (Guarda Municipal), Márcio Frizarin, afirmou que tem recebido solicitações de moradores por conta desses encontros improvisados em postos de combustível.

“Só da Lei do Pancadão foram 500 solicitações. E existem diversas solicitações em postos, incluindo veículos ligados com som alto e o pessoal fazendo o consumo de bebidas. É constante”, disse o comandante.  Ainda de acordo com ele, as denúncias chegam via telefone 153 e também por meio de uma página de denúncias do site da Prefeitura de Campinas. 

OUTRO LADO 

Em nota oficial, o Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas) disse que aguardará a publicação do decreto para um posicionamento oficial.

Fonte: Sarah Brito | ACidadeON Campinas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *