Consumo de álcool por idosos aumenta no Brasil

Um documento divulgado neste ano pela Organização Mundial de Saúde (OMS) em parceria com o Ministério da Saúde apontou que, no Brasil, o consumo de álcool por adolescentes e idosos aumentou na última década. Em Petrópolis, um dos canais de ajuda às pessoas que sofrem com o alcoolismo é o Grupo Petropolitano de Alcoólicos Anônimos, criado em 1966, que já chegou a ter mil participantes e foi o sétimo criado no Brasil.

De acordo com o Cisa (Centro de Informações sobre Saúde e Álcool), também aumentaram a taxa do chamado BPE, ou Beber Pesado Episódico, que é quando a pessoa toma um “porre” ocasional, com algum prejuízo à saúde.

No Brasil, a taxa de pessoas com o costume de beber excessivamente subiu de 12,7% para 19,4%, enquanto, no mundo, ela desceu de 20,5% para 18,2%. A média de litros de álcool consumidos per capita anualmente do Brasil também foi maior do que no restante do mundo: em 2016, a média internacional foi de 6,4 litros, e, no país, foi 39% maior, chegando a 8,9 litros por pessoa.

Em 2006, o consumo per capita era de 6,2 litros por pessoa no Brasil, o que aponta um aumento de 43,5% na década. É estimado que, entre os homens, o consumo médio seja de 13,4 litros/ano, enquanto, entre as mulheres, é de 2,4 litros.

O Brasil é o terceiro país na América Latina e o quinto em todo o continente com o maior consumo de álcool, atrás apenas de Canadá (10 litros), Estados Unidos (9,3 l), Argentina (9,1 l) e Chile (9 l).

Além disso, os dados informaram que cerca de 25% do álcool consumido no mundo é ilegal, ou seja, não é regulamentado. Em alguns países, de locais como o sudoeste asiático e o Mediterrâneo, a taxa beira os 50%. No território brasileiro, a proporção estimada é de 15,5%, cerca de 1,2 litro do consumo per capita do país.

Cerveja é a bebida mais consumida no país e no continente

Ainda de acordo com a pesquisa, as bebidas mais consumidas no mundo são as destiladas, que representam 44,8% do total, seguidas pela cerveja, com 34,3% e do vinho, com 11,7. Nas Américas, porém, as cervejas seguem na liderança com 53,8% do total, com os destilados na segunda posição (31,7%) e vinhos na terceira (13,5%).

Já no Brasil, a sequência é a mesma do continente, mas com uma vantagem maior para a cerveja, com 62% do total, enquanto destilados vêm com 34% e vinhos representam apenas 3% do consumo registrado.

Não há um levantamento que especifique o consumo em estados e cidades, mas, como capital estadual da cerveja, espera-se que Petrópolis siga a tendência nacional no consumo de bebidas alcoólicas.

Mundialmente, o consumo de álcool mata 3,3 milhões de pessoas anualmente, número que representa 5,9% de todas as mortes registradas, também segundo a OMS. Das mortes, 25% são de pessoas com idade entre 20 e 39 anos.

No Brasil, os números de mortes e internações registrados entre pessoas com mais de 55 anos foram os que mais apresentaram diferença na pesquisa: o aumento entre 2010 e 2016 foi de 6,9% e 6,7%, respectivamente.

Os transtornos psiquiátricos relacionados às bebidas diminuíram: antes, 5,6% da população sofria com estes problemas, número que caiu para 4,2% na última pesquisa.

Grupo em Petrópolis atua há 53 anos

Cerca de 9% dos brasileiros são dependentes do álcool e 3% relatam ter feito uso nocivo das bebidas pelo menos uma vez. Por isso, grupos de apoio são essenciais no tratamento ao vício. Os Grupos de Alcoólicos Anônimos foram criados nos Estados Unidos em 1935 e chegaram a Petrópolis em 1963, quando o “Petropolitano” foi criado.

A sede do Grupo na cidade foi a sétima a começar no país. Atualmente, são cerca de 20 atuando na cidade (o número já chegou a 42 na década de 1990), 425 no Estado do Rio, 4.698 no país e aproximadamente 100 mil no mundo, em 186 países.

Um dos fundadores e coordenadores do Petropolitano, Nelson Karl, faleceu no último dia 21 aos 87 anos, após cuidar do projeto por 56 anos. O Grupo, inclusive, foi o único da cidade a registrar mais de mil participantes. Nelson, além da coordenação, fazia à mão caricaturas que eram publicadas nos boletins do A.A.
João Vitor Brum, especial para o Diário de Petrópolis Fotos –  Blog Saúde Garantida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *