Conheça os principais tipos de tratamento para alcoolismo Alcoolismo / Feature

Na hora de buscar um tratamento para alcoolismo, é comum que surjam dúvidas a respeito do qual caminho é melhor. A verdade é que não existe universalmente um mesmo modelo para todos. Um alcoolista pode tentar diversos tipos de tratamento até encontrar um que realmente faça a diferença a ele. Outros podem associar vários para se sentir fortalecido. No geral, ter bons profissionais envolvidos costuma fazer a diferença no resultado, assim como a colaboração do alcoolista e das pessoas ao seu redor.

Conheça os principais tipos de tratamento para alcoolismo:

Grupo de ajuda mútua

O Alcoólicos Anônimos (AA) é pioneiro no modelo de grupo de ajuda mútua. Em suas reuniões, homens e mulheres de todas as idades, crenças e classes sociais se reúnem para falarem sobre suas dificuldades e sucessos. O principal princípio do AA é seguir os 12 passos, assim como é valorizado o anonimato. Não há custo para participar das reuniões e há em diversas cidades.

Médico

Geralmente o médico procurado pelas pessoas que sofrem de problemas com álcool e outras drogas é um psiquiatra. E psiquiatra não é ‘médico de louco’, viu?! A especialidade trata doenças psiquiátricas, como depressão, transtornos de ansiedade, etc. E como muitos alcoolistas também sofrem com estas patologias, é o médico psiquiatra que precisa acompanhar o dependente de álcool. É ele que vai solicitar exames, prescrever medicamentos, encaminhar o paciente para outras especialidades, etc.

Psicólogo

O psicólogo é o profissional que vai cuidar das questões relacionadas às emoções, ao comportamento e as relações sociais, como família e amigos. O psicólogo ajuda o alcoolista a encontrar alternativas para lidar com as angústias e demais emoções que o leva ao abuso de álcool.

Orientação e Terapia familiar

Este tipo de intervenção é muito importante, pois ajuda os familiares a reavaliarem sua postura frente ao alcoolista. Também é uma forma da família receber apoio e amparo.

Internação em Pronto Socorro

Quando há momentos de intoxicação, agressividade e síndrome de abstinência é recomendada a internação em Pronto Socorro. Essa internação é, em geral, de no máximo 24 horas, podendo ser prolongada caso seja avaliada tal necessidade.

Internação em Hospital

Muitos acreditam que internação para o alcoolismo é o melhor ou o único tratamento e que o paciente estará curado ao receber alta. Isso é um mito. Na verdade, a internação é necessária em alguns casos, mas somente como parte do tratamento.

Na internação, o alcoolista vai melhorar a saúde (alimentação, sono, etc.), a desintoxicação com supervisão médica e a aplicação de medicamentos para alívio dos sintomas da síndrome de abstinência. Porém, essa desintoxicação não faz o alcoolista se livrar da dependência, por isso é preciso ter atendimento após a internação.

Tratamento Ambulatorial

No tratamento ambulatorial, o alcoolista frequenta um ambulatório especializado para consultas com o médico e o psicólogo. A grande vantagem deste tipo de tratamento é justamente a chance de manter o alcoolista em casa, mantendo suas atividades sociais (trabalho, estudo, etc.).

Internação em Comunidade Terapêutica

Geralmente é um lugar (uma fazenda ou um sitio) onde as pessoas ficam internadas por alguns meses. A recuperação baseia-se no trabalho, na religião e em grupos ajuda mútua. O problema deste tipo de intervenção é similar ao da internação, a pessoa fica isolada de sua vida cotidiana e tem grandes chances de recair ao sair e enfrentar a realidade de sua vida.

Com informações do Hospital Albert Einstein


Comecei a ingerir bebidas alcoólicas aos 14 anos de idade, me tornei alcoólatra e hoje estou em recuperação.