O alcoolismo cada vez mais cedo

O consumo de bebidas dentro das casas é um incentivo para menores começarem a beber, ainda mais quando há “vistas grossas” por parte dos pais. Aliás, muitos deles até acham “bonito” oferecer bebidas aos filhos. Um erro e um passo largo para a iniciação no alcoolismo.

Uma lei, sancionada na última quarta-feira (19) pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), punirá comerciantes de todo o estado de São Paulo que não comprovarem que só maiores de 18 anos compram e consomem bebidas alcoólicas dentro do seu estabelecimento. A lei é rigorosa: segundo o texto, os comerciantes estão sujeitos à multa de R$ 1.745 a R$ 87.250 e podem ter o comércio fechado por 30 dias e até perder a licença de funcionamento. Há inclusive uma telefone para denúncias sobre venda de bebidas alcoólicas para menores. O telefone para denúncias será o mesmo usado para a Lei Antifumo (0800-771-3541). Mas ele só passará a funcionar para a Lei Antiálcool no dia 19 de novembro. Pelo número também será possível tirar dúvidas.
A pressão teve bom resultado com a lei sobre o fumo em locais fechados, principalmente bares e restaurantes. A intenção é que a legislação também surta efeito positivo em relação à venda de bebidas alcoólicas para menores de idade.

No Brasil não se leva muito a sério essa questão, com fiscalização deficiente e muita facilidade para a compra de bebidas por menores. Não se trata apenas da venda em bares. O perigo ronda por toda a cidade, desde botecos até supermercados. Raramente, um caixa de supermercado pede documentos aos jovens que passam pelo local com a compra que inclui cervejas e outras bebidas alcoólicas para comprovar a maioridade.

Ao contrário de outros países, como Canadá, México e Estados Unidos, no Brasil é permitido o consumo de bebidas pelas ruas e não só em locais fechados. Assim, muitos jovens compram as bebidas e as consomem andando pelas ruas (normalmente fazendo algazarras e quebrando as garrafas nas calçadas e muros) ou dentro de veículos.

A situação é ainda mais complicada quando o consumo de bebidas é feito em festas realizadas pelos jovens em locais fechados, principalmente as “repúblicas”. Hoje têm sido comuns as festas de estudantes em chácaras e salões, onde não existe qualquer fiscalização, seja do setor de saúde ou da polícia. Tem sido grande o número de acidentes e casos de alcoolismo após essas festas, com perdas irreparáveis.
Os jovens estão envelhecendo rapidamente por conta do alto consumo de bebidas alcoólicas, adquirindo várias doenças muito cedo, com sérios problemas de estômago, fígado, rins, pulmão (o cigarro é o campeão das doenças pulmonares) e coração.

Mais do que a fiscalização, que deve ser rigorosa pelos órgãos de saúde e da polícia, é preciso que os pais também sejam responsáveis e rigorosos na educação dos filhos, dentro e fora de casa. Diferente de outros tempos, hoje existe liberdade demais e sem controle. Por isso mesmo acontecem tragédias provocadas pelo excesso do álcool, já que há sempre uma associação entre bebidas e veículos. E também com as drogas, principalmente nas baladas de casas noturnas e festas privadas. É preciso respeito e responsabilidade, não confundido liberdade com liberalidade. Infelizmente, o álcool e as drogas têm encurtado o caminho para a morte!

Fonte: Jornal da Manhã

Um comentário Adicione o seu
  1. bom!! gente esse é um tema bastante interesante, principalmente quando se fala de jovéns ! e adolescente! bastante jovéns hoje sofrem com esse vicio de álcool e muitos deles de familia pobres!….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *