Oferecer cerveja grátis para os funcionários pode ser arriscado

Muitas empresas, pensando em reter os funcionários, oferecem vários tipos de benefícios. Alguns são mais usuais, como plano médico e odontológico. Outras oferecem vantagens aos funcionários menos comuns, como sala de jogos e cerveja. Sim, você leu certo: cerveja!

Uma reportagem do jornal Folha de São Paulo mostrou que algumas empresas no Brasil estão adotando esta prática, que seria de levar o “happy hour” para dentro do escritório. Algumas empresas também chamam de Beer O’ Clock (hora da cerveja, em tradução livre).

O alemão Mate Pencz, 26, presidente-executivo de uma empresa gráfica que disponibiliza aos colaboradores cerveja, explica que é um hábito comum em alguns lugares dos Estados Unidos. “Usar a cerveja como benefício é muito comum lá. Quis trazer isso para cá, como forma de estimular a descontração após um dia todo de foco”, afirma. A bebida fica disponível em uma geladeira, abastecida também com refrigerante.

Irandy Marcos da Cruz, especialista em carreiras e gestão e professor da Fiap (Faculdade de Informática e Administração Paulista), diz que um dos grandes desafios das companhias hoje é encontrar o melhor estímulo para os empregados. “Para um jovem trabalhador de uma empresa de tecnologia, uma cesta básica pode não significar nada. Provavelmente ele vai preferir itens lúdicos, que ajudem na sua formação profissional ou promovam bem-estar”.

Leia também: 10 coisas que você precisa saber sobre o alcoolismo

A psicóloga Sonia Regina Solano Paes Breda, da Clínica Viva, acredita que a prática deve ser tratada com precaução, já que há pessoas que possuem vulnerabilidade ao álcool. “As empresas também devem atentar-se ao excesso no consumo, pois, além de atrapalhar o rendimento do funcionário, pode prejudicar a eficiência da empresa”, alerta.

Thiago Bacchin, 32, presidente-executivo de companhia de marketing digital diz que pensou nas precauções antes de inserir este hábito na empresa. “Antes de implantar o projeto, perguntamos aos funcionários se havia alguma restrição de saúde ou religiosa com o álcool. E só compramos uma ‘long neck’ por pessoa”. Para Bacchin, a ação melhora os laços de amizade da equipe.

Sonia acha que as empresas podem adotar outras medidas que ajudam a descontrair e socializar os funcionários. “Pode-se ter um momento com salgadinhos e refrigerantes, ou mesmo a prática de esportes em grupo, objetivando a mesma finalidade”.

Com informações da Folha de São Paulo

2 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *