Como faço para saber se sou dependente do álcool?

Quando falamos em bebidas alcoólicas, logo remetemos a bebidas muito comuns de serem consumidas, como o vinho tinto que está presente na vida de diversas pessoas, até como meio medicinal na prevenção de doenças cardiovasculares. De fato, com moderação, a bebida alcoólica não fará mal.

Porém, o risco começa quando o seu uso passa a ser exagerado e compulsivo, quando não se tem mais o controle de saber quando parar de ingeri-la. Isso representa o estágio de alcoolismo, que muitas vezes é devastador na vida do individuo, causando diversas doenças ou levando a óbito. Mesmo com esse fato tão evidente em todo o mundo há muitos anos, o número de pessoas dependentes do álcool só aumenta a cada ano, o que acaba gerando mais lucro para as empresas dessas bebidas e prejuízos para a vida de quem faz seu uso.

Há muitos anos atrás existiam poucas opções debebidas alcoólicas, porém hoje em dia as empresas querem concorrer entre si, principalmente as que produzem cerveja. A cada bimestre do ano ou menos, é lançado um novo sabor de cerveja; isso gera uma grande disputa para ver qual empresa irá conseguir substituir a outra e isso se dá pelo grande número de compradores, ainda mais o mercado estando superaquecido pelas cervejarias artesanais.

Além disso, tudo depende de uma boa embalagem e um bom conhecimento da marca com seu público, isso faz com que eles apresentem os produtos com comerciais felizes e cheios de exageros, buscando passar a imagem de que você precisa da bebida alcoólica para estar completo.

Existem muitas marcas e sabores que somos direcionados indiretamente a experimentar, sempre optando por uma como nossa preferida, aquela que será consumida com mais frequência dentre todas as outras, diante disso a pessoa pode acabar não percebendo o abuso do álcool, e quando perceber já será tarde demais, pois já vai estar dependente da bebida.

Também existem casos em que a pessoa acaba se viciando em bebidas alcoólicas baratas, pelo seu melhor “custo benefício”, essas pessoas são as que fazem seu uso apenas pelo efeito, sendo propensas a se viciarem mais rápido, justamente pelo fácil acesso. Por exemplo, a pinga ou água ardente como também é conhecida, vicia mais que outros tipos de bebidas e é uma das mais comuns entre os alcoólatras.

Se tratando disso, há alguns dados alarmantes em relação ao vício alcoólico que deveriam ter maior reconhecimento para talvez não existir tantas pessoas dependentes desse mal, por exemplo, 75% dos acidentes de trânsito com vítimas fatais estão relacionados ao uso do álcool; 78% dos casos de violência doméstica contra a mulher e criança também são causados pelo mesmo fator.

Sendo a droga lícita mais vendida no Brasil, o alcoolismo apresenta diversas alterações psíquicas, como classes depressivas e de agressividade, redução dos reflexos, amnésias, psicose alcoólica, demência e coma alcoólico. Causado não apenas em adultos, mas também em crianças e adolescentes pela irresponsabilidade de alguns comércios que vendem para menores de 18 anos ou familiares que deixam os jovens experimentarem em casa, correndo o risco que eles desenvolvam o vício muito cedo.

Um dos piores fatores sobre o alcoolismo é a abstinência, ela é capaz de deixar o indivíduo desequilibrado e possesso, fazendo com que ele se transforme em outro tipo de pessoa. Porém, após ingerir a bebida também pode causar uma grande mudança de comportamento, provocando crises de agressividade e deixando-a fora de si, isso ocorre quando o álcool afeta o cérebro e atinge os neurotransmissores e acarreta alterações que ocasiona uma distorção da percepção, podendo ter delírio e inconsciência.

Muitas pessoas que possuem a dependência ao álcool podem não perceber ou não aceitar e isso faz com que seja cada vez mais dependente desse mal e não se motive a ir procurar ajuda. Quando não se tem certeza que você possui essa compulsão é possível identificar pelos seguintes eventos:

  • O consumo do álcool faz com que você se desligue de importantes atividades sociais ou profissionais;
  • Consome o álcool constantemente em curto período de tempo;
  • Tem um desejo compulsivo pelo álcool e não consegue se controlar quando tem vontade de ingeri-lo;
  • Não consegue realizar deveres fundamentais pelo uso do álcool envolvendo ambiente escolar, trabalho ou em casa;
  • Bebe em qualquer ocasião seja ela positiva ou negativa com a desculpa que apenas o álcool será protagonista para aquele tipo de situação;
  • Sente que se tornou uma pessoa mais agressiva com pessoas próximas;
  • Se sente incomodado quando está em uma ambiente que não contém bebidas alcoólicas;
  • Perceber que o álcool está demorando mais tempo para causar o efeito esperado;
  • Quando a bebida se tornou seu melhor amigo para aliviar um estresse;
  • Não conseguir passar nenhum dia sem consumir o álcool;
  • Quando a bebida se torna seu primeiro pensamento do dia;
  • Possui dificuldades para parar depois de começar a consumi-la;
  • Exibem tremores e sintomas de abstinência quando passa muito tempo sem ingerir bebidas alcoólicas.

Além disso, também pode ser percebido pelos diversos sintomas de abstinência após um longo período sem o seu uso, pois o cérebro se sobrecarrega e não consegue resistir à ação depressora do álcool e acaba acontecendo os seguintes fatos:

  • Insônia;
  • Aumento da temperatura corporal;
  • Taquicardia;
  • Ansiedade;
  • Irritabilidade;
  • Tremores;
  • Hipertensão;
  • Inquietação;
  • Náuseas e vômitos;
  • Suor excessivo;
  • Fadiga;
  • Ansiedade;
  • Falta de clareza de raciocínio;
  • Dor de cabeça;
  • Alucinações;
  • Agitação;
  • Oscilações de humor;
  • Ataques de pânico.

Esses e outros fatores são representantes da abstinência em pouco tempo, já a abstinência durante um tratamento pode desenvolver fatores ainda mais graves, como a anorexia e distúrbios alimentares. Independente dessas razões, parar de beber sempre será a melhor opção para evitar doenças ao longo dos anos, pois essas crises são passageiras, já as doenças podem ser irreversíveis. Alguns dos tipos de doenças causadas pelo uso excessivo da bebida são:

  • Câncer;
  • Demência;
  • Hepatite;
  • Cirrose;
  • Impotência sexual;
  • Infertilidade;
  • Pelagra;
  • Infarto;
  • Trombose;
  • AVC;
  • Gastrite;
  • Pancreatite;
  • Problemas cardiovasculares;
  • Anemia;
  • Neuropatia periférica;
  • Disfunções imunológicas.

Diante disso, a melhor opção quando se está ciente de todos os riscos que a bebida traz para a sua vida é procurar um auxílio para se livrar desse vício, existem muitos tratamentos hoje em dia que quando combinados geram um grande sucesso no final, por exemplo, o uso de medicamentos e terapia é excelente para quem procura um método comprovado de intervenção.

O uso de medicamentos deve ser feito apenas mediante a um acompanhamento médico, pois a automedicação pode causar sérios danos a sua saúde. Assim, o especialista poderá te receitar o melhor tratamento ou você poderá conversar com ele sobre quais opções você acha interessante.

Um dos bons métodos são os tratamentos naturais, pois além de não prejudicarem sua saúde futuramente, eles também não contêm contraindicações, ou seja, qualquer tipo de pessoa poderá utilizá-lo de acordo com as precauções de cada tipo de tratamento. Além disso, muitos deles contêm ótimas vitaminas que auxiliam na reposição das que você perdeu ao longo do tempo consumindo a bebida alcoólica.

O recurso terapêutico pode ser feito por meio de um terapeuta individual ou em grupos de apoio, no causo da consulta individual você poderá escolher entre um terapeuta ou um psicólogo e ele fará com que você entenda que se livrar desse vício só trará benefícios para a sua saúde. Além disso, poderá intervir nas crises de abstinência te indicando os melhores meios para contornar essa situação.

Já na ajuda por meio de grupos de apoio, um dos mais destacados é o Alcoólicos Anônimos (AA) que se trata de uma comunidade de pessoas voluntárias que farão reuniões para que você conte suas experiências e evoluções. É significativo para você ver que não está nesta luta sozinho e não é apenas você que está sofrendo. Esses dois meios podem ser feitos juntos, o importante é não desistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *