LSD

Outros Nomes

Ácido, doce, AC, Antônio Carlos

drogas_lsd

Aparência

O LSD é líquido. No Brasil é comercializado em cartelas picotadas similares a um mata-borrão. Cada pequeno quadrado picotado recebe uma gota de LSD. Eles podem ser consumidos inteiros, divididos ao meio ou em quartos. Há ainda apresentações em forma de pontos, gelatinosas, grafitosas e líquidas, vendidas em conta-gotas (figura 1). O consumo se dá pela via sublingual.

 

Efeitos

O LSD é talvez a mais ativa das substâncias que agem sobre o cérebro humano: a dose é diminuta (0,05 miligramas) e seus efeitos, duradouros (4 a 10 horas). Os efeitos aparecem cerca de 30 minutos após a absorção sublingual.

Há alterações na percepção, principalmente de caráter visual e auditivo, além de aceleração e desorganização do pensamento (idéias soltas e perda do foco do pensamento). O humor torna-se lábil, isto é, pode variar de situações de grande euforia a quadros de extremo mal-estar, marcados por tristeza e medo. Falhas na avaliação da realidade por vezes podem produzir sintomas paranóides (idéias de perseguição), usualmente momentâneos e restritos ao período da intoxicação. Apesar da denominação, os alucinógenos raramente produzem alucinações (imagem sem objeto), mas sim ilusões (distorções perceptivas de um objeto real). Tais ilusões (visuais, auditivas, táteis,…) tendem a se misturar, num fenômeno denominado sinestesia (mistura de sensações).

 

Riscos à Saúde

Podem acontecer ‘viagens de horror’ (bad trips), marcadas por pânico e paranóia;
Interpretações incorretas da realidade podem levar a acidentes, algumas vezes fatais;
O LSD pode desencadear quadros psicóticos permanentes em pessoas predispostas a essas doenças.

 

Fonte: Site Álcool e Drogas sem Distorção (www.einstein.br/alcooledrogas)

Programa Álcool e Drogas (PAD) do Hospital Israelita Albert Einstein

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *